It takes two to tango

Quantas vezes a vida não parece mais estranha do que a ficção? Isso é porque toda a ficção se inspira directamente na vida! É porque somos todos medricas que costumamos optar pela ficção. Só que este blog vai optar pela vida... ou algo assim...

quinta-feira, março 30, 2006

Igrejas sempre fechadas!


Eu nem católico sou, na medida em que a igreja é uma organização e que todas as organizações, na procura de se dirigirem numa só direcção, sem quaisquer linhas de fuga nem direito real à individualidade, acabam por se me afigurar burras ou, pelo menos, potenciadoras da burrice.
Mas confesso que uma igreja vazia de crentes e cânticos de má qualidade é um local onde gosto de, por vezes, me sentar e permanecer um bocado, imerso nos meus pensamentos, enquanto a confusão corre mesmo ali à beira, extra-muros.
Leva-me isso a uma interrogação que tantas e tantas vezes me tenho colocado: porque diabo é que as igrejas, exceptuando-se as horas da missinha e outras cerimónias, se encontram sempre, sempre de portões pesada e teimosamente cerrados? Será dessa forma que as altas instâncias da igreja visam captar gente e cumprir a sua pretensa missão? Ou será que, como qualquer organização, só sorriem diante de manifs e ajuntamentos e tudo o resto lhes passa ao lado?

1 Comments:

At 12:17 da manhã, Anonymous smac said...

Lembro-me sempre de que Deus é Deus e a Igreja é dos homens... Daí as falhas - na "instituição" e no espaço.
Conforta-me saber que qualquer lugar é um bom lugar para pararmos para pensar, mais ou menos profundamente e repararmos naquilo que nos rodeia e nos torna previlegiados! ;)

 

Enviar um comentário

<< Home