It takes two to tango

Quantas vezes a vida não parece mais estranha do que a ficção? Isso é porque toda a ficção se inspira directamente na vida! É porque somos todos medricas que costumamos optar pela ficção. Só que este blog vai optar pela vida... ou algo assim...

domingo, agosto 21, 2005

Mourinho e os bueiros do Dragão

Embora o vosso Master se esteja total, absoluta e completamente nas tintas para o futebol que tão bizarramente povoa as mentes de milhões de portugueses mais do que a política, a economia, os copos ou a qualidade das quecas dadas, dei ontem uma volta completa ao Estádio do Dragão. Uma peregrinação, diria quase, que só não fiz de joelhos porque poderia ficar arranhado, vulgo lesionado. O Estádio do Dragão, onde o Porto se ufanou a perder a quase totalidade dos jogos ali disputados às mãos do desvario estranhíssimo de um ano em que três, sim três treinadores inteiros, passaram pelo clube, é uma obra arquitectónica interessante. Para os fãs de futebol que desconhecerem a palavra e uma vez que é sempre bom ir ocasionalmente aprendendo algo de novo, sugiro que procurem o termo arquitectura (ou architecture para os que utilizam daqueles horrendos tradutores electrónicos que talvez decifrem, por exemplo, Mourinho como Little Man from the Morocco ou, no máximo, Little Man from Lisbon) no Google ou no Alltheweb.



Dei eu, então, uma esforçadissima volta em torno do Dragão e notei que, numa espécie de tampas de bueiro a todo o redor, se encontram assinaladas datas, nomes, figuras importantes para o FCP. Uma espécie de Walk of Fame com um pouco menos de gosto, mas ainda assim uma ideia certamente original e uma atitude certamente louvável. O Pedroto está lá, está lá o Pavão, estão lá tantos outros...

De José Mourinho, o treinador que em 2002/2003 trouxe ao clube o trio de vitórias da Liga, da Taça e da UEFA e que, no ano seguinte, ainda lhe logrou somar uma vitória memorável na Liga dos Campeões, nem pó! Ainda imaginei que se tratasse de um esquecimento desastroso, possivelmente motivado pelo facto de os arquitectos não perceberem népias de futebol... Mas acabei por chegar à triste conclusão de que o senhor José Nuno Pinto da Costa e demais direcção do clube das Antas, perdão do Dragão, enfim, o Dragão fica mesmo à beira das Antas, devem ter optado por apagar das memórias do clube o nome incómodo de alguém que talvez tenha tido personalidade a mais correspondendo a resultados reais, o que na nossa terra sempre equivale a "arrogância", "armanço" e "rebelião intolerável". Fiquei triste. Quase me surgiu uma lágrima ao canto do olho. Mas é uma imagem muito real do nosso país onde gente como o major Valentim Loureiro ou a senhora Fátima Felgueiras se habilitam a verdadeiramente manter o santo caciquismo que os tem perpetuado no poder ou onde figuras tão características como o senhor Alberto João Jardim podem dedicar a vida a sugar cubanos e a pisotear os seus conterrâneos sem que nenhuma alma mais inteligente se lembre de oferecer a merecida indepemdência à Madeira, o que não me parece que desencadeasse qualquer epidemia de choros convulsivos no Continente. Mourinho foi, então, apagado do Dragão como se se tratasse de algum treinador de segunda que até nem nada fez pelo Porto...





Penso que será perante uma tão grande injustiça que o homem patenteia este ar preocupado e pensativo. Ou então, está-se nas tintas! Como eu para o futebol nas suas triquices que nos desviam do que realmente conta, do que faz com que cada vez vivamos pior enquanto os sinhores risonha, despudorada e despreocupadamente mantêm e acrescem as suas vidas de luxo, nos seus automóveis de luxo, vivendas de luxo, férias de luxo e festas de luxo. Mas é claro que se todos passamos mal, talvez isso seja, na verdade, culpa e pecado mortal dos incompetentes funcionários públicos dedicados a sabotar o país que tão afincada e eficazmente trabalha. Seja!


Eis, por curiosidade e interesse documental, algumas das primeiras declarações de Mourinho à imprensa inglesa, quando para o reino dos sugadores reais britânicos se deslocou, revelando no Chelsea que não se trata de nenhuma fraude e que os empresários russos (santos icónicos ou mafiosovskia) sabem bem o que querem e fazem, ao contrário dos nossos competentíssimos dirigentes que preferem continuar a iludir o puabo com palavras de ordem do género O Puarto é uma naçõe, em lugar de pensar e agir com eficácia:

Temos jogadores de topo e lamento ser um pouco arrogante, temos um treinador de topo.

Sou o campeão europeu. Acho que sou especial.

Já li que tenho que dar grandes provas no futebol inglês. Sir Alex Ferguson é o único campeão europeu neste país, ninguém mais, o que é que tenho que provar então?

Ah, ganda Mourinho, homem de tomates! Gosto. Gajo arrogante no léxico nacional com tantas provas dadas no estado da nação. Mas o Master está-se também nas tintas para o léxico nacional. Há quem diga que precisávamos de um Salazar a cada esquina... Cada cabeça sua sentença. Eu acho antes que precisávamos de substituir as nossas classes política e empresarial por homens como o Mourinho. Depois se veria... Ah, e acho, claro está, que talvez não fosse de mau tom realizar uma pequena, humilde e singela (bem à maneira portuguesa) alteração nas tampas de bueiro do Dragão. Just a thought...
Citações de Mourinho de www.blogs.com/famous/mourinho/html

6 Comments:

At 5:18 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 5:27 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 5:34 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 5:49 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 7:47 da tarde, Anonymous Maria Alice said...

Estás a ver o que dá registares-te em coisas esquisitas? Começas a receber destes comentários automáticos. Como já te disse à hora do almoço, de futebol percebes pouco e de F.C. Porto ainda menos. Caso contrário, em termos do que foi feito pelo clube e ao clube foi dado a ganhar, o nome do senhor Mourinho nem perto devia estar do do senhor Pinto da Costa. Ao senhor Mourinho, o clube deve muito, mas a inversa também se aplica, e ele faz sempre questão de não dizer isso...

 
At 8:15 da tarde, Blogger Master Minder said...

Ó Maria Alice, foi um prazer almoçar contigo, um prazer, diria mesmo, quase que sensual, mas vais ter que me permitir discordar plenamente de ti.
Primeiro, não me registei em coisas esquisitas e os comentários sempre preenchem espaço.
Segundo, parece-me um comentário muito portista afirmar assim cabalmente que nada entendo de futebol e muito menos de F. C. Porto. E se eu for do Benfica? Como é, não posso? Ou se for do Sporting? Ou do Farense? OU mesmo do União de Leiria? É essa espécie de arrogância portista bairrista, sem ofensa e se me permites falar assim, que me causa impressão (negativa) no futebol português e um pouco mais acentuadamente nos portistas, onde a doença parece acentuar-se um pouco mais.
Nascido e criado na cidade do Porto, insisto que não reconheço nada de especial ao sr. Pinto da Costa e muitíssimo menos aos basbaques em silhueta que compõem a direcção do clube. Aliás, joguei minibasquete no Académico e a partir daí nunca gostei muito do Porto... ;) Claro que também me poderias interrogar acerca dos basbaques dirigentes de outros clubes, com bigode ou sem ele, todos eles gente sem nível e que me alegro de não fazerem parte do meu círculo, muito mais exigente, de amigos... E receber respostas idênticas. Aliás, faço-lhe justiça, há por aí dirigentes muito, mas muito menos merecedores da minha confiança do que o Pinto da Costa.
Mas... o caso do Mourinho é outra coisa. O Mourinho é possivelmente o melhor treinador do mundo e trouxe ao FCP o que mais ninguém jamais trouxe. O facto de se reconhecer a importância que realmente tem é apenas justo e o resto é conversa fiada bem à portuguesa. Bem à maneira do país onde ninguém pode ser bom e ter noção da sua importância porque logo toda a mediocridade (geralmente convencida de que pode ensinar treinadores a treinar, jogadores a jogar, professores a ensinar, médicos a exercer, numa palavra, o português é o verdadeiro "homem do Renascimento" - LOL).
Mas isso já nos leva a outras conversas, embora directamente ligadas à questão Mourinho... O facto é que, insisto, Mourinho tem mais do que merecimento e direito a estar presente no Walk of Fame do Dragão e se assim não sucede deve ser porque as decisões são tomadas por um bando de putos com poder. E mais não digo...
Beijinho grande e espero poder encontrar-te em breve e curtir, querida Maria Alice, como só nós os dois sabemos curtir.

Your Master

 

Enviar um comentário

<< Home