It takes two to tango

Quantas vezes a vida não parece mais estranha do que a ficção? Isso é porque toda a ficção se inspira directamente na vida! É porque somos todos medricas que costumamos optar pela ficção. Só que este blog vai optar pela vida... ou algo assim...

terça-feira, setembro 20, 2005

We're a happy family, etc. nº 2
















Sabem, o isolamento nas casas de hoje já não é o que talvez ainda venha a ser...
Mesmo por baixo de mim, tenho um casal com três filhos cujos elementos têm por passatempo insultar-se e, por vezes, partir a louça, o que até nem deve ficar muito barato, mesmo se a adquirirem numa feira...
A gaja quase estoura as veias do pescoço com o gajo. O gajo tenta fugir, mas é sabido que num andar não é coisa fácil. Às páginas tantas, o gajo grita à gaja que ela é uma burra ou algo assim. De seguida, partem-se uns quantos pratos. O gajo sai de casa batendo a porta. Por fim, a gaja grita com os filhos até à hora da novela, momento solene em que o abençoado silêncio ensaia o seu regresso.
Não pensem que ando a bisbilhotar e a expôr a vida dos outros pleno de malícia... Estou a chamar a atenção para um problema humano.
E tudo isto não ocorre no bairro do Trocopó, mas sim na luxury mansion onde comodamente habito.
Digam lá se não é bem melhor vivermos sozinhos e sem ninguém que nos chateie? Se somos egoístas, somo-lo connosco e ninguém nos pode acusar do que quer que seja... Bem melhor!...



Imagens de www.layouth.com e www.menz.org.nz.

2 Comments:

At 11:06 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Aconteceu contigo?

 
At 12:32 da tarde, Blogger Master Minder said...

Comigo? Como? Pessoalmente não. Nem pensar. Então se fosse hoje em dia, não mesmo, não tenho qualquer tipo de pachorra para cenas dessas e nem para outras muitíssimo menos graves, simplesmente não posso. Mas acontece de tempos a tempos bem por baixo de onde moro e acho tristíssimo... Nem acho chato, acho mesmo triste, nomeadamente tendo em conta que têm três filhos. Por outro lado, não sei bem como mas parece que, por vezes, relacionamentos tão bizarros assim tendem a eternizar-se...

 

Enviar um comentário

<< Home