It takes two to tango

Quantas vezes a vida não parece mais estranha do que a ficção? Isso é porque toda a ficção se inspira directamente na vida! É porque somos todos medricas que costumamos optar pela ficção. Só que este blog vai optar pela vida... ou algo assim...

terça-feira, novembro 22, 2005

Prós e Contras (uma gotinha de escárnio e maldizer)

Como padeço de um atroz e malvado estado gripal, estou menos atento e parece que ontem (embora seja compreensível, perante o panorama de um programa que não serviu para esclarecer ninguém e que eu já sabia que não esclareceria ninguém) se me varreu um pouco o sentido de humor. Mas o humor é importante e acho fantástico quando o capitão de uma nau, face a uma tempestade que não tarda a enviá-lo para o fundo dos oceanos, se consegue postar na proa e rir em voz alta dos deuses furiosos.
Felizmente tenho os meus informadores, que me chamaram a atenção para três coisitas que dão que pensar... Para eles, os meus agradecimentos.


Coisita número 1: Provavelmente na sequência das alterações à gramática do português que impedirão os estudantes de aprender a ler, a escrever e a gostar de ler e escrever para, em lugar disso, ficarem a saber montanhas de coisas abstractas, inúteis e altamente discutíveis excepto para linguistas, a ministra parece ter decidido impôr alterações à fonética da nossa língua... Todos conhecemos a palavra "absentismo", a qual se lê ".....centismo" - aliás, de outra coisa não se fala relativamente a esses malandros que são os professores. Não é que a Maria de Lurdes criou um neologismo e o aplicou vezes seguidas diante das câmaras? "Abezentismo" - assim se deverá passar a escrever esse termo tão em voga.


Coisita número 2: Quando o professor Nóvoas (peço desculpa, pode não ser esse o nome, mas a verdade é que, como já referi, estou com gripe e incapacitado de fazer uma pesquisa) se referiu a um Despacho de 10 de Agosto, foi corrigido na data pela ministra. E auto-corrigiu-se: 31 de Julho. "Nho!... Nho!...", salientou ela. E não é que agora o mês de Junho passa a ter 31 dias? Nunca tivemos uma ministra tão inovadora!


Coisita número 3: Um paradoxo... Na sequência do seu discurso sobre o absurdo nível de abezentismo dos professores, o simpático representante das associações de pais, comentou que o filho ficava à noite, em casa, a fazer os trabalhos de casa. Mas... se os professores estão ausentes, como é que podem marcar trabalhos de casa?


Boa noite. Se me lembrar de alguma coisita mais, digo. Para já, vou tomar um Nimed (passe a publicidade)...

1 Comments:

At 6:41 da manhã, Anonymous Julinha said...

receita para o estado gripal:

JUNTAR 31 GOTAS DE ABZENTISMO
MAIS 31 GOTAS DE NHO-NHO
AGITAR MUITO BEM, ATÉ OBTER A COR NÓVOAS.
AGITAR! AGITAR!

TOMAR DURANTE 31 DIAS, DE PREFERÊNCIA DURANTE O MÊS DE JUNHO.

NIMED JAMAIS!!!

E BOA SAÚDE:)

 

Enviar um comentário

<< Home